Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Boa noite!




Shimon Peres: um lutador pela Paz


Prémio Nobel da Paz, 1994

«Os optimistas e os pessimistas morrem exatamente da mesma maneira, mas vivem vidas muito diferentes».

«É melhor ser controverso pelas razões certas do que popular pelas razões erradas».
Shimon Peres

Marcadores de livros - 474

 
Verso e reverso de um marcador.

Obrigada, Justa!


Marcadores de livros - 473


O meu amado Caravaggio nasceu em 29 de setembro de 1571.  Aqui ficam uns marcadores da exposição que esteve no Thyssen até dia 18.
Eu ia à espera de ver três ou quatro quadros dele e afinal... encheu-me a alma.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Boa noite!

Desenho de figurino de uma bacante para o bailado Narcisse
Capa do programa dos Ballets russes, Théâtre du Châtelet, jun. 1911

Pintor e decorador, Léon Bakst foi o principal dos Ballets russes nas suas primeiras apresentações, para as quais ele desenhou cenografias e trajes, como Shéhérazade, Le Spectre de la rose, L’Après-midi d’un faune ou Daphnis et Chloé. A sua obra revolucionou também a moda e as artes decorativas. 
Por ocasião dos 150 anos do seu nascimento,  a Ópera Garnier e a BnF organizaram uma exposição que apresenta cerca de 130 obras do artista que pensava a sua obra como uma ação, uma expressão.  
A exposição permite seguir o itinerário de um artista nascido na Rússia que se tornou uma figura parisiense, de um pintor que influenciou Chagall e que foi amigo de Picasso. Um artista que trabalhou em diálogo com Claude Debussy, Maurice Ravel, Igor Stravinsky, Gabriele D'Annunzio, Vaslav Nijinski ou Ida Rubinstein. Um criador de modo que inspirou costureiros como Yves Saint Laurent e Karl Lagerfeld.
A exposição pode ser vista na Ópera Garnier (Paris) até 5 de março de 2017.


Aniversário Real

Em 28 de Setembro os penúltimos soberanos portugueses, D, Carlos e D. Amélia, nascidos em 1863 e 1865, comemoravam os seus aniversários. Da Rainha D. Amélia, em memória, um desenho do Paço de Sintra, do livro do Conde de Sabugosa,"O Paço de Cintra", de 1908.


Caixa do correio - 64

Aqui têm a «Puglia em todo o seu esplendor natural, banhada por dois mares muito agradáveis.» Diz quem lá esteve.
 

Casa das Limonadas

Na Rua Nova do Almada.

Nas montras de Paris - 23

Casa de chocolates Puyricard, instalda numa antiga mercearia, no n.º 6 rue du Pont Louis-Philippe.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Buonasera!


Como se comunicam certezas em temas marcados pela própria incerteza científica?

Se tiver tempo, hei de espreitar este livro.


Um quadro por dia


Vale a pena visitar exposições , não só pelo prazer estético mas pela possibilidade de descobertas muito rentáveis como a que aconteceu há uns meses quando o dono do quadro supra ( 59x74cm ) o achou muito parecido com um patente na exposição do Louvre dedicada a Hubert Robert ( 1733-1808 ) , duas vezes maior e pertencente ao Getty Museum de Los Angeles . Feitas as perícias não há dúvida que se trata de um esboço de Démolition du Château de Meudon , pintado aquando da demolição do dito castelo entre 1803 e 1804 , depois do mesmo já ter sido incendiado em 1795 e vandalizado em 1789 ...

É vendido hoje, em Nantes, avaliado entre 40 000 e 60 000 euros .

Chocolate em francês

Os chocolates da Le chocolat des Français são deliciosos, mas também atraem muito pelas embalagens que apetece mesmo guardar . Uma das novidades apresenta um dos mais conhecidos franceses ...

lechocolatdesfrancais.fr

Lá fora



 O Segundo Império Francês acabou muito mal ( com a Guerra Franco-Prussiana ... ) , mas foi um dos períodos mais prósperos da história moderna francesa e talvez por isso também a época escolhida pelo Museu d' Orsay para celebrar os seus 30 anos de vida . Pintura, escultura, joalharia, arquitectura demonstram todas as inovações dessas duas décadas , acompanhadas as mostras de muitos colóquios , conferências e ateliês para crianças .
Começa hoje , 27 de Setembro , e dura até 16 de Janeiro .

Spectaculaire Second Empire , 1852-1870  . musee-orsay.fr

Humor pela manhã


O comércio religioso sempre a inovar ...

In memoriam Marni Nixon





Só mais conhecida a partir de 1956, com as revelações de Deborah Kerr , a recentemente falecida Marni Nixon ( 1930-2016 ) foi a grande " voz fantasma " de Hollywood dobrando Kerr mas também Marylin Monroe, Nathalie Wood , Audrey Hepburn e outras estrelas desde 1948 .

Paris: pelos cais do Sena

Set. 2016

Bom dia!

Uma rockalhada de Bruce Springsteen do seu último disco, Chapter and Verse, que inclui cinco temas inéditos do início da sua carreira. O disco foi feito para acompanhar a leitura da autobiografia, Born to Run, que é hoje publicada mundialmente - em Portugal, pela Elsinore.
A seguir à leitura de Keith Richards, vou continuar no rock. Já perceberam que vão ter de me aturar.



segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Buonanote!


Esplanadas de Paris - 10

Na margem do Sena.

Leituras no Metro - 251

Depois de ler esta crónica de António Prata publicada num livro a que me referi, resolvi abalançar-me a ler as memórias de Keith Richards. Quando saíram, em 2011, foram muito elogiadas e eu fiquei com a pulga atrás da orelha.
Pois estou a lê-las, tal como a mulher do cronista brasileira, com enorme prazer. Um enorme trambolho.


«Das melhores autobiografias de uma estrela rock de sempre.» 
Rolling Stone 

«Da música a Mick [Jagger], das drogas às mortes: Richards deixa muito pouco por contar no seu imensamente legível livro de memórias.» 
Sunday Times

«A biografia de uma estrela rock mais brutalmente honesta e importante desde há muito tempo.» Washington Post 

«Como legendário guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards fez mais coisas, foi mais coisas e viu mais coisas do que o leitor ou eu alguma vez sonhámos. Ler Life, a sua autobiografia, deverá despertar (caso tenha um pulso e um QI acima de 100) a estrela de rock que há em si... Acredite que não vai querer perder nem uma palavra. [...] Ler este livro é como fechar-se dentro de um quarto com Keith Richards e perguntar-lhe sobre tudo aquilo que sempre quis saber acerca dos Rolling Stones, e ele responder-lhe de forma completamente honesta.» 
Liz Phair, in New York Times Book Review 

Já apelidada de Santo Graal das biografias de estrelas de rock, Life foi celebrado como um fenómeno incrível: mais de um milhão de cópias vendidas em menos de um ano. Em Life, Keith revela-nos os seus excessos e fragilidades, mas também todo o seu sentido de humor e coragem. Desde música, sexo, drogas, a lutas de facas, pouco fica por contar neste seu relato entusiástico e vibrante que nos revela os bastidores da maior banda de rock do mundo, os Rolling Stones: o seu nascimento, a passagem de Brian Jones pela banda, as rusgas policiais, os problemas com a lei, a conturbada relação de Keith Richards com Mick Jagger, e a verdade acerca de todos os boatos e mitos que rodeiam uma das mais carismáticas figuras musicais de todos os tempos.
Keith Richards foi o vencedor do prémio Writer of the Year 2011, instituído pela revista britânica GK.

Há cerca de dois anos li um livro que Keith Richards escreveu para os netos sobre o seu avô Gus, que lhe ofereceu a sua primeira guitarra e que o ensinou a tocar Malagueña. Acho que me referi a esse livro, aqui no blogue.


Esta gravação não é famosa, mas foi a que consegui. Deviam ter posto um microfone junto à guitarra, mas provavelmente ele não quis.

Marcadores de livros - 472

Verso e anverso de quatro marcadores.

sábado, 24 de setembro de 2016

Buonasera!

Em uma tarde de Outono

Gustave Caillebotte - Barcos à vela em Argenteuil, 1888

Outono. Em frente ao mar. Escancaro as janelas
Sobre o jardim calado, e as águas miro, absorto.
Outono... Rodopiando, as folhas amarelas
Rolam, caem. Viuvez, velhice, desconforto...

Por que, belo navio, ao clarão das estrelas,
Visitaste este mar inabitado e morto,
Se logo, ao vir do vento, abriste ao vento as velas,
Se logo, ao vir da luz, abandonaste o porto?

A água cantou. Rodeava, aos beijos, os teus flancos
A espuma, desmanchada em riso e flocos brancos...
Mas chegaste com a noite, e fugiste com o sol!

E eu olho o céu deserto, e vejo o oceano triste,
E contemplo o lugar por onde te sumiste,
Banhado no clarão nascente do arrebol...

Olavo Bilac

Esplanadas de Paris - 9